quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Entrevista para o ZonaPunk: Banda TÓPAZ



19/10/2009 - Há cerca de dez anos, lá para os lados do sul do país, nasceu a banda Tópaz. Esses gaúchos comediantes e de muita experiência, conquistaram seu estado no último ano e atualmente são um dos maiores destaques da cena underground do Rio Grande Do Sul. Em entrevista ao ZonaPunk, o baixista/vocalista Alexandre Nickel conta um pouco da história da banda e revela novidades sobre o novo cd. O resultado você confere logo abaixo.

Carol/ZP: Como tudo começou? Quem conheceu quem primeiro, enfim, como a Tópaz surgiu?
Alexandre Nickel:
Na real, a Tópaz começou como as bandas normalmente começam, amigos em comum afim de tocar. No caso, a gente nem sabia tocar e muito menos o que queria fazer. Até porque faz muito tempo... A Tópaz tem mais de 10 anos. Com exceção do Pedro, que substitui o Will recentemente, nós nos conhecemos desde a creche. A história é longa!

Carol/ZP: O nome da banda soa bastante gaúcho, é proposital? Tem um significado especial?
Alexandre Nickel:
Como te falei, a banda tem mais de 10 anos. Então éramos bemmmmm, mas BEMMMMM imaturos quando fizemos a banda. Na real, a gente ainda se sente meio 5º série até hoje hahaha Mas VOLTANDO a história. Começamos a ensaiar do nada e logo conseguimos um show perto das nossas casas. Mas deixamos o nome da banda pra última hora e naquela empolgação, um de nós falou: "Coloca de TópazANAL?" Por incrível que pareça, a gente achou uma boa idéia na época...hahaha Mas só durou alguns shows pq os "organizadores" dos eventos não curtiam muito. Então resolvemos "cortar o ANAL" e ficou Tópaz.

Carol/ZP: Vocês são muito conhecidos pelos vídeos do youtube, todos muito criativos e engraçados, o que sem dúvida contribui bastante pra divulgação da Tópaz na internet. Filmar/atuar pode ser considerada outra paixão de vocês além da música? De onde (ou de quem) surgem as idéias dos vídeos?
Alexandre Nickel:
A gente sempre teve uma vocação natural pra fazer coisas "idiotas". Desde os primeiros ensaios, gravávamos clipes toscos "atuando" e tudo mais... Somos realmente apaixonados por isso e eu e o Gigante estudamos Produção audiovisual e trabalhamos com isso há algum tempo já. O que facilita as questões mais técnicas da coisa. Sobre atuar e as idéias, eu acho que é natural. Quem conhece a gente, sabe que somos "daquele jeito" o tempo todo. Filmando ou não, somos estranhos.

Carol/ZP: Como surgiu a participação do Lucas da Fresno na música “Biografia”? Vocês já eram amigos?
Alexandre Nickel:
Ahhhh... A gente se conhece desde o período paleozóico, eu acho. Faz um bom tempo mesmo... Eles não tinham nem lançado "Onde está" ainda. Foi numa radio que fomos dar uma entrevista no mesmo dia e acabamos nos conhecendo. Depois disso, a Fresno foi crescendo bastante e a gente sempre se encontrava nos shows. Quando fomos gravar o "Outra direção", pensamos logo de cara no Lucas por ser um cara super talentoso e que tinha a ver com o som. Até hoje, ele e o Tavares sempre dão bastante força pra banda. Nesse último disco, se não fosse a guitarra emprestada do Lucas, seria um disco de TECLADOS e percussão.

Carol/ZP: Muitas bandas do sul consideram-se desprivilegiadas e reclamam da dificuldade de conseguir um espaço em São Paulo. O que a Tópaz pensa a respeito disso? Vocês acham que o caminho é mais difícil pra uma banda que nasce longe da metrópole brasileira?
Alexandre Nickel:
Não reclamo nenhum pouco de ser do sul. Certamente a mídia não tem todo o alcance que tem uma TV de SP ou RJ, mas cada lugar tem as suas singularidades e talvez uma das coisas positivas que vejo por aqui é que as bandas não se matam tanto quanto em SP. Fomos gravar o disco lá agora e conhecemos uma galera, o denominador comum em todos os discursos é que existe uma rivalidade gigante entre as bandas. Achei isso tão absurdo, mas acho que é a competição enorme que leva a isso. Já aqui em Porto Alegre, as bandas realmente se ajudam e são mais amigas. Obviamente não todas, mas de modo geral, é uma qualidade que vejo daqui e não em SP, por exemplo.

Carol/ZP: Vocês pretendem ficar morando na região metropolitana de Porto Alegre mesmo ou já existem planos de “expandir os horizontes”?
Alexandre Nickel:
Conversamos bastante sobre isso ultimamente e a decisão foi seguir até onde nossa música nos levar naturalmente. Não vejo a Tópaz morando em São Paulo sem antes conquistar algumas coisas. Temos muita coisa pra fazer no Sul ainda. Talvez, a melhor estratégia seja ir "subindo aos poucos", e não ser mais uma banda que vai pra SP e chega lá sem um "publico" pra sustentar essa decisão. Um passo de cada vez, até onde tiver que ir pra ser feliz.

Carol/ZP: Quais foram os shows que vocês fizeram que consideram os mais marcantes?
Alexandre Nickel:
Isso é algo muito pessoal de cada um, mas me identifico com os mais "vazios" ou "estranhos". De uns anos pra cá, dificilmente fazemos shows pra poucas pessoas, mas por algum motivo astronômico ou de Feng shui, quando eles aconteciam eram os que mais gostava. Talvez pela sensação de ser algo especial pros que estão... Uma vez tocamos no hospício também, foi muito legal e "diferente". Uma mulher ficava me chamando de "macaquinho" o tempo todo! HAHAHA!

Carol/ZP: Um grande diferencial da banda é o “Terror Team” mantido pelos fãs de vocês, essa idéia surgiu dos próprios fãs?
Alexandre Nickel:
Sim...É do que mais nos orgulhamos. MESMO. Os caras são demais... Pra quem não sabe, o "terror team" é uma espécia de "street team", um grupo de pessoas que ajuda muito a banda. Só que o diferencial do TERROR team pros street teams de outras bandas é que eles são absolutamente devotados pra isso. Tem momentos que chega a ser assustador (no melhor dos sentidos). Pra dizer UMA das milhares de histórias, eles fizeram uma manifestação em frente uma radio aqui do Sul até os caras colocarem a gente na programação... Bom... Se alguém quer saber do que o TERROR TEAM é capaz é só entrar no youtube e digitar "gritando Tópaz", é de uma promoção que fizemos. Assiste os vídeos lá que tu vai entender o que é terror team!

Carol/ZP: Por fim, em 2007 vocês lançaram o álbum “Outra Direção” e mais recentemente os singles “3 Meses” e “Sinais”. O que o público pode esperar da Tópaz daqui pra frente?
Alexandre Nickel:
Bom... Tem um disco novo chegando ae. Ele já foi gravado. O nome dele é "3". Estamos orgulhosos mesmo dessa nova fase que ta rolando. As músicas estão infinitamente mais classudas. Tanto em arranjos, como em letras e o que mais se pode pedir para uma boa música. Entregamos nossas vidas pra colocar cada nota, batida e voz nisso. O que se pode esperar? Um disco sincero, sem medo de se entregar ao que acreditamos.

Carol/ZP: Já tem data de lançamento pra ele?
Alexandre Nickel:
Acho que o single, um som chamado "Notas De Rodapé" vai sair em no máximo 15 dias. O disco, não deve demorar muito mais que isso também.

Carol/ZP: O nome do disco tem um significado especial?
Alexandre Nickel:
Hummm. O disco se chama "3" porque, desde o início da banda, sempre falei que o 3º disco seria o melhor de todos. Não sei bem o motivo, mas sempre falei isso. Quando a gente estava gravando, nos demos conta que não podíamos esperar um terceiro disco pra fazer algo tão bom. Por isso, resolvemos batizar nosso segundo disco de "3". Também tem aquele lance q todas as bandas acabam se dando mal no segundo disco, por isso lançamos o 3º antes.

Carol/ZP: Pra finalizar, quer deixar alguma mensagem aos leitores?
Alexandre Nickel:
+ amor , -rancor!


PARA LER A ENTREVISTA NO SITE CLIQUE AQUI.

Um comentário:

  1. carooool,


    mudei o endereço do meu blog, anota ai ;))

    http://www.bedebrunaa.blogspot.com/

    beijos

    ResponderExcluir